Biografia
 

Nascido em Guimarães em 1981, Emanuel Salvador conta com importantes apresentações como solista e recitalista em conceituadas salas de concerto em Inglaterra (St. Martin-in-the-Fields, Southwark Cathedral), EUA (Kean Auditorium, NJ e Haas Centre for the Arts, PA), Cazaquistão (Philharmonic Hall), México (Sala Nezahualcoyotl), Polónia (Cracow Philharmonic Hall e Lutoslawski Concert Studio), Turquia (Adana Symphony Hall), Rússia (Krasnoyarsk Philharmonic Hall e Voronezh Philharmonic Hall), Ucrânia (Teatro Gorki); Holanda, Portugal (Centro Cultural de Belém, Auditório 2 da Gulbenkian, Teatro Rivoli), Alemanha (Palatin Wiesloch, Fruchthalle Kaiserslautern), Espanha (Centro de Artes Escénicas - Salamanca), Itália e Malta (Teatro Manoel).


Foi distinguido com diversos prémios em concursos nacionais e internacionais, tais como 1º prémio nos concursos Isolde Menges (RCM) e Beckenham Festival; Barbirolli Memorial e Wolfson Foundation award; 2º prémio no Concurso Prémio Jovens Músicos (nível médio); 1ª Menção Honrosa no Concurso Internacional Júlio Cardona, entre outros. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian de 2000 a 2003 e em 2008 e 2009 do Instituto Camões.


Depois de terminar os seus estudos na Escola Profissional Artistica do Vale do Ave - Artave, como melhor aluno do curso, seguiu para Londres onde obteve o grau de Bachelor of Music pela Guildhall School of Music and Drama (professor John Glickman) e o Master’s Degree in Music Performance pelo Royal College of Music (Dr. Felix Andrievsky). Outros professores relevantes na sua formação foram, entre outros, Ulf Hoelscher, Alberto Lysy, Vadim Brodsky, David Takeno, Ilya Grubert e na área da música de câmara são de destacar David Dolan, e membros dos trios "Beaux Arts", “Florestan”, “Peabody” e dos quartetos “Takacs” e “Borodin”.


Como solista tem-se apresentado com as Orquestras do Norte e Clássica da Madeira; Sinfónica da Bahia e Espírito Santo (Brasil); Filarmónicas de Gdansk, Opole, Bialystok, Lublin, Mloda, Sudecka, Kalisz (Polónia); Sinfónica de Voronezh e Filarmónica de Krasnoyarsk (Rússia); Sinfónica de Nuevo León, Camara de La Rádio Mexicana, Camara de Morelos (México); Rotterdam Ensemble (Holanda); Orchestra da Camera Fiorentina e Nuova Amadeus (Itália); Sinfónica de Dnipropetrovsk; Sinfónica do Estado de Çukurova (Turquia); Sinfónica de Pazardhzik (Bulgária); Nonesuch e Newbury Symphony (Inglaterra), sob a direcção de maestros como Ferreira Lobo, Igor Verbitsky,  Adam Klocek, Boguslaw Dawidow, Byron Fidetzis, Carlos Prazeres, Roberto Beltran, Phillipe Bender, Mark Kadin, Bartosz Zurakowski, Volker Schmidt-Gertenbach, Natalia Ponomarchuk, entre outros. Apresentou-se nos festivais Encontros da Primavera, Festival Internacional de Música de Gaia e Dias da Música (Portugal), Ampthill e Proms in St. Judes (Inglaterra), no International String Orchestra Festival (Malta), no Eternal Spring Chamber Music Festival (México) e Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012. Concertos seus foram emitidos pela RDP, Rádio Nacional de Espanha e Polónia.


Foram-lhe dedicadas várias obras, sendo de destacar o Concerto para Violino e Orquestra de Joaquim dos Santos, que estreou em Itália e Portugal em 2005 e o Concerto para Violino e Orquestra de Karl Fiorini foi estreado na Holanda, Portugal, Malta e gravado na Polónia para a editora Metier.


Foi membro fundador do Trio Vianna da Motta, com o qual se apresentou em vários recitais, tendo também gravado um CD para a editora Centro Atlântico. É primeiro violino do Quarteto Baltic Neopolis e do Quarteto de Cordas de Guimarães. Colabora regularmente com distintos artistas tais como Anna Nechaeva, Ieuan Jones, Schostakovich Ensemble, Ensemble Darcos, Tomasz Tomaszewski, entre outros.


Foi concertino da Orquestra do Norte de 2005 a 2014. É desde 2015 concertino da Baltic Neopolis Orchestra. Como concertino convidado tocou, entre outras, com as Orquestras Nacional de Espanha, Seoul Classical Players (Coreia do Sul), Filármonicas de Szczecin e Chestochowa (Polónia) e com a European Young Musicians Orchestra (Itália).


Toca numa cópia tonal de um Guarnerius del Gesu, por Martin Schleske (Munique, 2004), que adquiriu com o apoio de uma bolsa do Loan Fund for Musical Instruments.

“...Emanuel Salvador, one of the finest Portuguese violinists of his generation.”

Strad Magazine, Agosto 2007




“Spellbinding soloist”

Newbury Weekly, Novembro 2006